foxconn substitui 60 mil trabalhadores por robos
foxconn substitui 60 mil trabalhadores por robos

A china está investindo muito na força de trabalho de robôs. A Foxconn reduziu sua mão de obra de 110 mil para 50 mil funcionários graças a implantação de robôs. Xu Yulian, chefe de publicidade comentou: “Mais empresas estão propensas a seguir o exemplo.”

Publicidade

Foxconn declarou a BBC que pretende automatizar funções repetitivas da produção focando em desenvolvimento:

“Estamos aplicando engenharia robótica e outras tecnologias de fabricação inovadoras para substituir tarefas repetitivas anteriormente feitas pelos trabalhadores, e através da formação, também permitem que os nossos funcionários concentrarem em elementos de maior valor agregado no processo de fabricação, tais como pesquisa e desenvolvimento, controle de processos e controle de qualidade.

“Vamos continuar a aproveitar automação e mão de obra em nossas operações de fabricação, e esperamos manter nossa força de trabalho significativa na China.”

Desde setembro de 2014, 505 fábricas em Dongguan, na província de Guangdong, investiram 4,2 bilhões de yuans (R$ 430m) em robôs, com o objetivo de substituir milhares de trabalhadores.

Kunshan, província de Jiangsu, é um centro de produção para a indústria eletrônica.

Economistas emitiram advertências sobre como a automação vai afetar o mercado de trabalho, com um relato, por parte de consultores da Deloitte em parceria com a Universidade de Oxford, sugerindo que 35% dos postos de trabalho estão em risco ao longo dos próximos 20 anos.

foxconn substitui 60 mil trabalhadores por robos
foxconn substitui 60 mil trabalhadores por robos

O ex-executivo-chefe da McDonald Ed Rensi disse recentemente ao programa Fox Business que um aumento do salário mínimo para US$ 15 por hora faria empresas consideram trabalhadores robôs.

“É mais barato comprar um braço robótico US$35.000 do que a contratação de um empregado ineficiente, ganhando $15 por hora ensacando batatas fritas”, disse ele.

Via BBC